Reserve Expense Travel: Gestão de Viagens e Despesas

Descubra como unir gestão viagens e de despesas em uma única plataforma simples e ágil

Cada vez mais empresas têm procurado aplicativos mobile. Ainda mais para economizar ao comprar passagens aéreas ou mesmo reservar hotéis para os viajantes que embarcam a negócios aos mais diversos destinos.

Porém, outras já procuram páginas na Internet para aperfeiçoar a administração das viagens corporativas de seus colaboradores. E comparar preços entre tarifas, hospedagens e serviços.

Agora imagina só ter todos esses recursos em uma mesma plataforma!

Pensamos na maior comodidade e acessibilidade de cada um de seus clientes na hora de organizar os custos com viagens. Bem como todos os detalhes envolvidos no planejamento.

Por isso a Costa Brava Viagens e Eventos disponibiliza a plataforma Reserve Expense & Travel.

Com ela, é possível unir maior praticidade em gestão de viagem e controle de despesas – tudo isso na tela de seu dispositivo móvel ou computador.

Para que você possa entender melhor como esse sistema funciona, suas vantagens e como começar a usá-lo, confira agora mesmo este e-book inédito.

Viagem em família: 3 Destinos Inesquecíveis

Uma viagem em família pode ser incrível para todos: basta escolher o destino certo e aproveitar!

Viagem em família é uma das memórias mais importantes de nossas vidas. E, claro, o cenário dessa experiência é fundamental.

Por isso, escolher o destino certo que agrade a todos, desde os adultos até as crianças, torna-se um desafio.

Para solucionar esse desafio, selecionamos os melhores roteiros para um passeio incrível para você e sua família.

E não se esqueça: Considere a personalidade e opinião de todos os membros da família para a escolha perfeita.

Viagem com crianças

1. Orlando, Estados Unidos

Orlando, localizada no Estado americano da Flórida é perfeita para viagens em família. O local possui sete dos 20 maiores parques temáticos presentes em todo o mundo!

A mais famosa e visitada é a Disney World. Um complexo de parques, entre aquáticos e  temáticos, e um centro de compras que agrada crianças e também adultos.

No parque, elas irão adorar encontrar  personagens como o  Mickey Mouse, Pluto, Pato Donald  e toda sua turma, as princesas e tantos outros personagens.

Vão se divertir muito nos inúmeros brinquedos, comprar produtos exclusivos e se sentir em um verdadeiro mundo mágico!

Um encanto para toda a família, a Disney ainda possui campos de golfe e hotéis dos mais variados estilos.

Para os mais velhos, a Universal Resort conta com dois parques:  o Universal Studios e o Islands of Adventure.

E, ainda, é possível visitar o Sea World, com outras atrações e opções mais tranquilas de passeios.

Fora dos parques, Orlando ainda é um mundo de possibilidades que a Costa Brava facilita para você.

Parques e diversão, noites agitadas,  muitos restaurantes para todos os gostos e todos os bolsos,  passeios entre a natureza selvagem e redes de compras…

Que tal vivenciar tudo isso com a Costa Brava Viagens e Eventos?

Viagem com jovens

2. Fortaleza, Brasil

Para uma viagem em família sem sair de terras brasileiras, nossa dica é Fortaleza.

A  Capital do Ceará, nordeste do País, impressiona pela variedade de atividades,  como bares, restaurantes e passeios programados.

A região também abriga suas belíssimas praias com águas cristalinas e belezas naturais, como a Praia do Futuro… Bares, restaurantes e diversos passeios programados.

Também é possível apreciar as paisagens e  desfrutar da região nas megabarracas.

As megabarracas são locais mais reservados, com piscinas, Wi-Fi  e brinquedos para crianças.

Além disso, na Ponte dos Ingleses é possível ter uma vista privilegiada do pôr-do-sol. Momento incrível para curtir  em família.

Mas, o local que mais faz sucesso em Fortaleza é, com certeza, o parque aquático Beach Park, na praia de Porto das Dunas.

O parque agrada a todas as idades, pois oferece brinquedos e piscinas apropriadas para crianças e adultos, com mais de 18 atrações.

As atividades são consideradas radicais, moderadas e para toda a família, com estrutura planejada para oferecer lazer, conforto e segurança.

Afinal, a Costa Brava sabe que muito mais do que lazer, importante mesmo é se divertir com segurança e comodidade.

Viagem para os mais velhos… ou para a “Melhor Idade”!

3. Londres, Inglaterra

Em Londres, na Inglaterra, crianças (não tão crianças) e adultos encontram espaço para a diversão durante uma viagem em família. Especialmente filhos mais velhos.

A famosa cidade histórica que abriga monumentos como o Big Ben, o Rio Tâmisa  e o Palácio de Buckingham – entre outros tantos, é o destino ideal para famílias que adoram explorar novas culturas juntos.

Muitos passeios guiados podem ser feitos pela região, com guias falando português, o que facilita sua visitação.

Não deixe de passar também pelos museus e conhecer a rica história cultural do lugar.

O Museu de História Natural de Londres (Natural History Museum) é excelente para as crianças e para adultos também.

Afinal, quem  não se impressionaria com fósseis de dinossauros e uma longa coleção reunida ao longo de 400 anos?

Também vale a pena para os que apreciam, fazer o passeio na roda gigante London Eye com uma visão panorâmica da região.

Toda diversão, conforto e segurança é possível com a Costa Brava!

Gostou? Então faça um orçamento conosco e não perca tempo!  Afinal, passeios como esses junto de sua família são inesquecíveis!

 

Agência de viagens: a escolha certa para sua Política de Viagens

A agência de viagens “errada” pode minar sua Política de Viagens, por isso é preciso uma reflexão filosófica sobre qual delas está melhor preparada para fazer esse trabalho

Gerir as viagens de sua empresa é assunto sério. Uma má gestão pode minar sua política de viagens e comprometer seu orçamento, tanto com más escolhas, como com viagens desnecessárias. Por isso é que é muito importante dedicar uma atenção especial na hora de escolher a agência de viagens certa para fazer a gestão de sua empresa e analisar tudo de maneira quase “filosófica”.

Sabendo isso, é preciso encontrar uma agência de viagens que não apenas esteja pronta para lidar com sua realidade atual, mas que também tenha comprometimento de acompanhar a empresa em sua projeção, quer dizer, que dê conta de organizar e fazer valer a Política de Viagens da empresa, mas que também acompanhe o desenrolar dessa implementação por meio de relatórios e que se antecipe sobre as futuras necessidades que a empresa venha ter.

Quando falamos em “escolha filosófica” parece até exagero, mas não é não: você precisa entender bem onde irá investir seu dinheiro e se a agência de viagens é mesmo preparada para fazer dessa verba um “investimento” real e não um “custo” para você. Assim, para você começar sua jornada filosófica rumo à agência ideal fizemos um compilado de alguns pensamentos célebres do filósofo Sócrates e que podem ajudá-lo a encontrar a agência que irá atingir seus objetivos com a sua política de viagens. Vamos lá?

política-de-viagens-rh-costa-brava.jpg

“Conhece-te a ti mesmo”

Como dizia o famoso aforismo inscrito na entrada do templo de Delfos na Era Clássica, e depois adaptado por Sócrates, não há nada como conhecer muito bem a si mesmo. Por isso, entenda a realidade de sua empresa, coletando dados, relatórios, relatos de experiências passadas com as viagens corporativas. Entenda a sua demanda por viagens, dificuldades, e, enfim, como sua empresa é nesse exato momento, os pontos fortes e fracos de sua atual gestão.

Uma agência de viagens perfeita deve ser capaz de entender sua atual gestão e os pontos que você precisa melhorar para cumprir a política de viagens da empresa. Nesse sentido vale optar por uma agência realista, que seja capaz de entender a velocidade certa para implementar cada melhoria, sem forçar de mais a barra para suas possibilidades atuais. A agência certa não só quer plantar e colher frutos da política de viagens, mas ela também analisa o solo e prepara bem o terreno. Esse conhecimento, portanto, é crucial.

“Não há vento favorável para aquele que não sabe aonde vai”

Por isso, saiba muito bem o que você espera em uma gestão de viagens e que rumos você pretende seguir com sua política. Você já parou para pensar quais são as necessidades de sua empresa e os planos dela a longo prazo? Bem, a agência de viagens certa é aquela que é capaz de identificar isso junto com a empresa e ela estabelece objetivos. Apesar de preparar o terreno ser importante, a agência deve entender que há um longo caminho a se percorrer para que os resultados sejam alcançados.

Assim como disse Sócrates na frase acima, o vento só ajuda quem já sabe para onde vai. E isso vale para sua empresa, e especialmente para a agência de viagens que você escolher. A agência precisa agir, mas saber muito bem o que está sendo feito, com estratégia e visando o cumprimento de sua política de viagens e os melhores resultados para sua empresa. Gerir não é apertar botão, e sua agência deve entender a complexidade do processo submetido e acompanhar se ele está indo pelo caminho mais favorável possível.

“O grande segredo para a plenitude é muito simples: compartilhar”

Nesse sentido, vale tanto para que sua empresa entenda bem o valor de compartilhar a gestão com a nova agência de viagens como a agência de viagens compartilhar as estratégias e resultados com sua empresa. A boa comunicação para que isso ocorra é essencial para que a política de viagens seja bem compreendida e bem executada pela nova agência. Portanto, escolha uma agência com a qual você não tenha medo de “abrir o jogo” sobre sua gestão de viagens e eventuais problemas no cenário atual.

Uma agência com a qual você se sinta confortável de compartilhar certamente irá ser responsável com as informações de sua empresa e com todo o grupo de colaboradores. Ela irá analisar com maturidade cada informação e buscar solucionar cada passo para que sua empresa possa aprimorar a gestão de viagens corporativas e torná-la muito mais eficiente. Esses processos serão muito mais transparentes já que você encontra nela uma parceria e ela estará lado a lado com você para gerir, implementar a política de viagens e garantir que ela seja compartilhada por todos os colaboradores.

“A sabedoria começa na reflexão”

Após as etapas de percepção do que você precisa, procure agora refletir se a nova agência tem estrutura para implementar sua política. Isso não só como uma “meta”, mas também em como será seu desenvolvimento. Se a agência é habilidosa o bastante para atingi-la sem causar choques estruturais a sua realidade atual e nem inviabilizar o cumprimento da política pelos colaboradores. Nesse ponto, valorize as experiências qualitativas que a agência tenha enfrentado e superado.

Aqui na Costa Brava, por exemplo, temos vários cases de sucesso, mas a qualidade deles é o que mais nos interessa. São algumas experiências desafiadoras, com grandes empresas e com um feedback muito positivo que elevam mais ainda nosso serviço e a certeza do caminho que tomamos na gestão de viagens de nossos clientes. Nessa mesma linha de pensamento, busque agências que também tenham essas experiências como as nossas: com perfis variados de clientes, estratégias criativas, desafios superados, resultados entusiasmantes e clientes elogiosos ao trabalho desenvolvido. Este último ponto ajuda a entender se a agência está te vendendo uma imagem que corresponde ou não ao que ela realmente é.

“Sob a direção de um forte general, não haverá jamais soldados fracos”

Então tenha a certeza de escolher uma agência que saiba ser um “forte general” das viagens corporativas de sua empresa. Por um “forte general” não entenda rigidez, mas sim “coesão”, alguma firmeza sim, mas com flexibilidade quando precisar ser mais maleável. Uma agência líder que, como dizem, “chega junto” e não uma “chefe mandona” que não sai do lugar. A agência precisa ter autonomia e liderança já que ela será gestora das viagens de sua empresa; e sobretudo estar pronta para a “batalha” até o cumprimento da política de viagens da empresa. Ela deve coordenar pesquisas, ter boa relação com fornecedores e saber cortar despesas desnecessárias.

A agência de viagens certa não é aquela que ganha muitas “batalhas” na sua gestão de viagens, mas principalmente a que ganha as batalhas certas, contra os inimigos certos, sabendo separar o que é custo do que é investimento; a hora de parar e a de atacar e, mais que isso, tornando autônomos os colaboradores (ou “soldados”) de sua agência para que eles também estabeleçam esse grau de discernimento. Forte general não é o que batalha sozinho, mas o que sabe conduzir o grupo até os objetivos gerais, entendendo o potencial de cada um e fazendo com que entendam seu próprio papel. A agência deve, desta forma, envolver todo o grupo de colaboradores e prepará-los para fazer as escolhas mais saudáveis para o cumprimento da política de viagens e sem prejudicar a empresa.

“Vamos estudar e enfrentar os desafios porque uma vida sem desafios não vale a pena ser vivida”

E, finalmente, escolha uma agência que estude sua realidade, pois só assim ela poderá, ao lado de sua empresa, enfrentar os desafios na gestão de viagens e sem se amedrontar quando surgirem novos desafios – ou desafios inesperados por vocês na projeção inicial. Verifique se a agência de viagens costuma fazer um bom acompanhamento na gestão de viagens, por meio de relatórios comparativos e se ela sabe o valor desses dados. É preciso não apenas coletá-los e agrupá-los, mas estabelecer métodos para lidar com eles, estratégias pontuais conforme a necessidade da empresa. Aqui na Costa Brava essas informações são essenciais para que possamos parametrizar e estabelecer novos critérios para cumprir a política de viagens, por isso que mensuramos e analisamos bem cada estratégia.

O que aprendemos com isso é que boas agências são as que “estudam” para enfrentar os desafios, porque sabem muito bem o valor dos estudos para se enfrentar com competência os desafios e sabem bem o valor dos desafios para a própria vida, dentro ou fora da empresa. Sendo assim, ao escolher a agência de viagens garanta que ela e a equipe que a representa não sejam do tipo que esmoreçam com o cenário inesperado, mas que busquem encará-lo, com maturidade, para que a gestão de viagens seja a melhor possível, acelerando e freando nos momentos e situações desejadas e, além disso, apresentando os resultados mais satisfatórios para a política de viagens da empresa.

Seguindo esses passos, nós da Costa Brava temos plena certeza que a agência de viagens escolhida saberá não só respeitar a política de viagens da empresa, mas saberá igualmente elevar os resultados de sua gestão.

Guia para Organizar uma Convenção de Vendas

Organizar uma convenção de vendas tem que ser uma tarefa objetiva e criativa: veja como fazer

Como alinhar todos os vendedores à busca de metas? É comum que grandes empresas pensem em organizar uma convenção de vendas para isso.

Como fazer isso? Confira abaixo o Guia para Organizar uma Convenção de Vendas que nós, da Costa Brava, organizamos para você!

7 passos para organizar uma convenção de vendas de sucesso:

1. Interaja antes

Problema: Não divulgar o evento.

Solução: Crie um ambiente positivo logo de cara. Divulgue o evento, espalhe cartazes, envie convites online.

Dica extra: Faça uma pesquisa do que os convidados gostariam de ver na convenção.

Algumas sugestões que possam estar nesta pesquisa são: análise da concorrência; detalhes de produtos novos; próximos lançamentos; treinamentos; cases de sucessos…

Oferecer um conteúdo que realmente agrade seu público é o primeiro degrau ao organizar uma convenção de vendas fantástica.

2. Programação colaborativa

Problema: Palestras apenas informativas.

Solução: Dê voz aos colaboradores.

Ao organizar uma convenção de vendas, ceda parte da programação para que os próprios vendedores discursem.

Compartilhar aprendizados, fracassos e conquistas é ótimo para multiplicar resultados. Bons vendedores gostam de ouvir outros vendedores que alcançaram sucesso.

3. Evite o “blá blá blá”

Problema: Passar um dia todo apenas ouvindo palestras pode ser uma agonia para os que estão na plateia.

Solução: Estimular desafios.

Pense em simulações de vendas. Soluções a serem alcançadas em grupos. Cases que possam ser desenvolvidos durante ou entre as palestras.

Escape do tradicional.

Exemplo: simule uma partida de basquete, em que um time é a empresa e o outro, os concorrentes. E cada cesta é um acerto diante de um desafio de análise de ambos.

4. Nada de palestras longas

Problema: Falta de atenção e dispersão dos participantes.

Solução: Palestras de no máximo 40 minutos.

Nesse tempo é possível que o palestrante aborde um tema, faça uma simulação de vendas e ainda descontraia o público.

Parece uma missão difícil, mas o segredo é que os palestrantes tenham em mente a mensagem principal de seus discursos. E, a partir dele, crie uma apresentação ágil e interativa.

5. Explore os 5 sentidos

Problema: Apresentações e ambientes clichês.

Solução: Crie ambientes que mexam com os cinco sentidos dos participantes.

Explore vídeos, coffebreaks, música e sensações. Torne o clima único e participativo. Pense em locais durante intervalos que permitam o networking e descontração frente ao dia todo de informações.

Ter um espaço para conversa, com música ambiente calma, incentiva o compartilhamento de histórias entre os colaboradores.

6. Convidado especial

Problema: Foco somente na realidade interna.

Solução: Trazer palestrante externo, com visão que escape da rotina da sua empresa.

Contar com um profissional que não atue na sua organização é sempre benéfico! Afinal, este convidado trará uma visão diferente sobre o mercado e sua área de atuação.

Pode ser um cliente, um expert ou mesmo um filósofo ou celebridade que tenha a acrescentar com seu ponto de vista.

7. Gran Finale!

Problema: Sensação de “já acabou?” ou “finalmente acabou” pelos participantes.

Solução: Traga um final surpreendente ao organizar uma convenção de vendas.

Lembre-se: o time de vendas precisa sair do evento ainda mais motivado. Para isso, pense em ter uma banda, brinde especial, sorteios ou algo bem criativo.

“Resumão” do Guia:

Ao organizar uma convenção de vendas:

– Realce cases de sucesso por meio de próprios vendedores e convidado especial;

– Pense em como o ambiente proporciona experiências;

– Valorize seus colaboradores, motivando-os.

A convenção de vendas não serve apenas para demonstrar resultados. Mas sim para incentivar o time.

Afinal, são esses profissionais os responsáveis por fornecer o melhor suporte, estratégia e produto ao cliente!

É possível contar com especialistas para organizar uma convenção de vendas?

Claro! É para isso que a Costa Brava está aqui: queremos te ajudar nessa missão.

Nós cuidamos de todos os detalhes para que sua convenção de vendas seja um sucesso, seguindo todos os apontamentos acima. E outros que vão de acordo com sua preferência.

Entre em contato conosco agora mesmo para saber como tornar sua convenção de vendas bem objetiva e muito criativa!

 

Para saber mais, envie um e-mail para: [email protected] ou ligue agora mesmo para: 0300 10000 40.

Guia de Prazos para Eventos

Prazos para eventos devem ser precisos para obter sucesso e fugir de imprevistos

Na hora de organizar uma feira, congresso ou mesmo um simpósio, a primeira dúvida que surge é: “com quanto tempo de antecedência devo pensar nos prazos para eventos?

Nós, da Costa Brava, trazemos essa resposta por meio de um  incrível Guia de Prazos para Eventos, veja logo abaixo.

Assim ficará mais fácil você e sua organização administrarem não somente o cronograma para solicitar o evento, mas também outros serviços – como montagem, materiais impressos e divulgação.

SOLICITAÇÃO DE EVENTOS

Feiras e Congressos Bi-Anuais: mínimo de 300 dias  de antecedência

Convenções (público interno ou externo, redes de distribuição): mínimo de 300 dias  de antecedência

Eventos internacionais: mínimo de 300 dias de antecedência

Feiras e Congressos nacionais: mínimo de 210 dias de antecedência

Lançamento de Produtos/Serviços: mínimo de 210 dias de antecedência

Ações de Relacionamento: mínimo de 180 dias de antecedência

Dia de Ações em Campo: mínimo de 120 dias de antecedência

Treinamentos e Reuniões de Produtos (ou situações complexas): mínimo de 90 dias de antecedência

Simpósios e Apresentações acadêmicas: mínimo de 60 dias de antecedência

MATERIAIS IMPRESSOS

Cotação de fornecedores: cerca de 5 dias

Desenvolvimento de materiais para eventos pelos fornecedores: média de 15 a 30 dias

Envio do material pós-confecção: cerca de 7 dias

DIVULGAÇÃO DO EVENTO

Feiras, congressos e lançamentos de produtos/serviços (nacionais e internacionais)
Com inscrições: mínimo de 90 dias de antecedência
Sem inscrições: mínimo de 60 dias de antecedência

Demais eventos
Com inscrições: mínimo de 30 dias de antecedência
Sem inscrições: mínimo de 10 dias de antecedência

DISTRIBUIÇÃO DE CONVITES

Eventos sociais (almoços, jantares, coquetéis): mínimo de 15 dias de antecedência

Eventos oficiais (premiações, inaugurações, posses): mínimo de 20 dias de antecedência

Congressos nacionais/internacionais: mínimo de 40 dias  de antecedência

Palestrantes de grandes eventos ou congressos: mínimo de 90 dias  de antecedência

MONTAGEM DE STANDS

Feiras e congressos: início com no mínimo de 7 dias de antecedência

Demais eventos (simpósios, convenções pequenas, lançamentos de produtos, etc.): mínimo de 8 horas de antecedência

EM RELAÇÃO AO EVENTO

Repasse de possíveis alterações da programação à equipe presente (como equipe cerimonial): mínimo de 5 horas de antecedência

Repasse da relação de fornecedores presentes bem como equipes de trabalho ao local do evento (nomes completos, RG, empresas e outros dados): mínimo de 5 dias de antecedência

Distribuição estratégica da equipe de segurança e recepção: mínimo de 2 horas de antecedência

PRINCIPAL PASSO PARA REALIZAR QUALQUER EVENTO

Com estas informações acima, fica muito mais fácil planejar os prazos para eventos da sua empresa.

Um evento requer cuidados mínimos a todos os detalhes e prazos. Desde coffebreak até horários de chegada dos palestrantes, iluminação, segurança, recepção…

São muitos os aspectos a serem pensados e estipulados com datas precisas.

Para isso, a Costa Brava conta com uma equipe especializada na realização de Eventos e Incentivos.

Nada melhor do que contar com consultores de alto conhecimento para não ter se preocupar com cada data que envolve a organização e realização de seu evento, não é mesmo?

Para saber mais, envie um e-mail para: [email protected] ou  ligue agora mesmo para: 0300 10000 40.

11 Dicas Essenciais Antes de Contratar um Seguro Viagem

Queremos alertar sobre um item que merece muita atenção: o SEGURO VIAGEM! Por que e quando fazê-lo? E o que mudará com a regulamentação da Susep (Superintendência de Seguros Privados)?

O seguro viagem é essencial para se deslocar para diferentes nações
Você sabia que em alguns países é essencial que o viajante tenha um seguro para visitá-los?

Os 27 países europeus que integram o Tratado de Schengen exigem que o viajante tenha um plano de assistência médica e hospitalar para poder visitá-los.

São eles:

  • Bélgica
  • França
  • Alemanha
  • Luxemburgo
  • Holanda
  • Itália
  • Portugal
  • Espanha
  • Grécia
  • Áustria
  • Suécia
  • Noruega
  • Islândia
  • Finlândia
  • Dinamarca
  • Eslovênia
  • Eslováquia
  • Polônia
  • Malta
  • Lituânia
  • Letônia
  • Hungria
  • Estônia
  • República Checa
  • Suíça
  • Romênia,
  • e Bulgária.

Coberturas asseguradas pelo seguro viagem

Mesmo não sendo obrigatório para outros locais, ter um seguro viagem é sempre bom porque ele é uma garantia de cobertura em caso de incidentes e oferece mais tranquilidade para os viajantes.

Dentre as coberturas, o segurado poderá optar por planos que contemplem atrasos de voo de mais de 18h, danos à mala, retorno antecipado, perda de documentos, despesas farmacêuticas, entre outras, além das mais tradicionais: assistência médica e hospitalar e assistência odontológica.

Ninguém, é claro, espera usar nenhum destes serviços, mas é sempre bom poder contar com eles caso seja necessário. O custo benefício compensa muito!

Viagens nacionais

No caso de viagens pelo país, você pode recorrer a um seguro para qualquer viagem com uma distância igual ou superior a 100 quilômetros entre o local em que você mora e onde pretende visitar.

Seguro Viagem Nacional já é uma prática comum em grandes empresas, pois os itens de cobertura vão muito além do que um convênio de saúde.

Como você vê, o seguro é um investimento importante para segurança pessoal e profissional, evitando problemas para o indivíduo e para a empresa em que ele trabalha.

Regulamentação pela Susep

A questão é que desde que a Susep passou a regulamentar esse serviço, novas normas foram estabelecidas e nem todas as empresas estão cientes desta mudança.

Para você começar a entender as modificações e se preparar ainda mais, providenciamos esse texto com alguns pontos das novas normas para seguro viagem e que você deveria observar. Confira!

Entre as novidades, destacam-se a obrigação de cobertura completa de tratamentos médico, hospitalar e odontológico, inclusive para doenças crônicas ou pré-existentes, transporte para o hospital mais próximo e retorno do segurado para a sua residência ou ponto inicial da viagem, regresso sanitário, translado de corpo.

A assistência de viagem passa a ser um seguro de verdade, com seu funcionamento regulado e fiscalizado como tal e o seguro só pode ser vendido por seguradora registrada na Susep.

Até então, as assistências de viagens eram obrigadas a cobrir apenas morte e invalidez por acidente e podiam oferecer outros tipos de cobertura como opcionais.

Por isso mesmo, há relatos de alguns consumidores que descobriam, em plena viagem, que não tinham direito ao ressarcimento de despesas médicas, justamente quando mais necessitaram desses serviços, conforme informação da Susep.

Outro problema que acaba com a nova regulamentação é que, ao contratar um seguro viagem, o consumidor passa a ter todas as informações necessárias sobre o produto ideal para cada caso.

Não houve nenhuma alteração em relação às viagens domésticas, ao Acordo de Schengen – cuja cobertura mínima para os países da União Europeia continua em 30 mil euros, ou quanto às indenizações materiais para cancelamentos e atrasos de voos, extravio ou furto de bagagens, entre outros, que continuam com coberturas opcionais.

O valor da apólice deixa de ser equivalente ao total disponível para gastos e passa a ser equivalente aos gastos por episódio. As mudanças seguem a resolução 315 da Susep (Superintendência de Seguros Privados), publicada em 26 de setembro de 2014.

Ocorreram algumas mudanças sutis, mas muito importantes para garantir maior segurança ao viajante, algo que valorizamos bastante.

Mas se você e sua empresa ainda estão em dúvidas na hora de escolher o melhor serviço, confira AQUI esse e-book completo que traz 11 Dicas Essenciais Antes de Contratar um Seguro Viagem!