0300 10000 40 costabrava@costabrava.com.br

Corporativo

Ofurôs e meditação? Vá além: veja como aliviar o estresse do viajante

Leia em

Facebook
Twitter
Linkedin
Tumblr
E-mail
Leia em Ofurôs e meditação? Vá além: veja como aliviar o estresse do viajante

Costa Brava Viagens e Eventos

Saiba como  aliviar o estresse do  viajante   corporativo por meio da garantia do seu  bem-estar durante as viagens - e como isso gera ROI à empresa

Viajar a trabalho pode ser uma experiência engrandecedora, tanto pessoal quanto profissionalmente. Porém, as viagens corporativas também têm um "lado negativo". Afinal, implicam em ficar longe da família e dos amigos. Além da possibilidade de enfrentar aeroportos cheios, voos atrasados e inúmeros imprevistos. Tanto que o estresse acaba fazendo parte da rotina de quem viaja a trabalho com frequência. Então, existe uma fórmula mágica de como aliviar o estresse do viajante?

Nesse caso, não há uma solução milagrosa. Mas entender quais são os principais fatores que geram estresse e pensar as viagens corporativas a partir do bem-estar do viajante pode fazer uma enorme diferença.

Quer uma proposta sob medida?

ligue para

0300 10000 40

ou Solicite aqui

Relação entre estresse e custo  de  viagens corporativas

É preciso que você tenha noção dos custos gerados para as empresas devido ao estresse experienciado pelos viajantes.

Pesquisas revelam que os viajantes se sentem estressados, em média, 6,9 horas em cada viagem, de um total de 17,9 horas gastas em cada viagem. Isso representa um índice de estresse de quase 39% e uma enorme perda de produtividade que equivale a um gasto de US$ 662 para as empresas.

Viajantes estressados representam quase 39% do deslocamento com nível de estresse e falta de produtividade - o que equivale a um gasto de US$ 662 à empresa.

Principais razões de estresse do viajante

A Escola de Altos Estudos Comerciais de Paris (HCE Paris) lançou uma pesquisa intitulada de "Global Business Travel Builds Sales and Stress"Via Internet, foram entrevistados milhares de colaboradores de empresas internacionais variadas.

Assim, foram identificadas três categorias que são as principais fontes de estresse de qualquer viajante corporativo. São elas:

#1 Perda de tempo

Segundo o estudo, o estresse ocorre quando os viajantes estão em uma situação em que têm limitações para o trabalho. Isso inclui falta de capacidade de usar laptop, falta de acesso à Internet, etc.

Outro fator bastante interessante foi a classe do voo. Classes econômicas não permitem total privacidade e espaço aos viajantes corporativos. Assim, costumam não usar notebooks ou até mesmo celulares para checar informações do trabalho. Afinal, as julgam como confidenciais.

Estas informações são complementadas com outro estudo. Em "The 7 Stages of Business Travel Stress", da Harvard Business Review, cerca de 7.400 gerentes globais acostumados a viajar foram entrevistados. A eles, em primeiro lugar, o embarque é o momento mais estressante da viagem. Seguido do voo em si e, posteriormente, da estada no destino.

Quando os viajantes estão se deslocando a negócios, o trabalho do escritório tende a se acumular. Assim, ele requer um "tempo adicional para recuperar o atraso". Se esse tempo "extra" não for possível durante a viagem corporativa (seja no avião, aeroporto ou hotel), sua carga de trabalho ao retornar gerará ainda mais estresse. Afinal, a pesquisa da HCE Paris revela que:

62% dos viajantes corporativos sentem a necessidade de ler seus e-mails assim que chegam ao destino

#2 Surpresas

“Surpresas”, ou melhor, imprevistos podem ocorrer durante a viagem. Porém, este é um dos principais motivos de estresse do viajante.

A perda de bagagem foi um dos principais itens citados. Isso porque, muitas vezes, a perda reque uma substituição do conteúdo perdido. Por sua vez, essa substituição requer uma ação em um curto espaço de tempo. Ainda, é comum que nem todos os itens sejam possíveis de serem substituídos, como documentações.

Toda essa situação gera maiores incertezas aos viajantes quanto à questão de prazos. Afinal, tudo é planejado: horário de voo, check-in tanto no aeroporto quanto no hotel, transfer, reuniões... Portanto, imprevistos causam um nível de estresse bastante considerável.

#3 Fora da rotina

Viagens corporativas podem perturbar os hábitos e rotinas dos colaboradores. Isso exerce relação direta com a qualidade de vida dos viajantes.

Apesar de, muitas vezes, serem programados, as viagens corporativas interrompem as atividades diárias de qualquer pessoa. Um forte exemplo apresentado pela HCE Paris é de manter uma dieta saudável ou rotina de exercícios. Os viajantes relatam que, normalmente, suas refeições tendem a ser menos saudáveis durante viagens.

Além disso, os horários de voos e atividades também atuam na qualidade do sono. Viajantes relatam estresse com voos em horários não rotineiros, como de madrugada.

Além disso,

80% dos entrevistados tinham um(a) parceiro(a) - todos estes relataram sentir alto estresse quando têm viagens de fim de semana

 

como aliviar o estresse

As mulheres são mais ansiosas do que os homens com viagens corporativas e, assim, apresentam maior estresse

O estresse por gênero

O estudo releva, ainda, que nem todos os viajantes têm o mesmo nível de estresse. Mesmo diante da mesma situação.

Em "Global Business Travel Builds Sales and Stress" foi relevado que as mulheres têm níveis mais intensos de estresse do que os homens. Ainda, tais níveis aparecem em todas as categorias descritas acima.

Mulheres sofrem mais de ansiedade do que homens durante viagens corporativas - portanto, têm maiores níveis de estresse

O fator mais estressante às mulheres que viajam a trabalho são bagagens perdidas ou atrasadas. Afinal, o traje de negócios para mulheres é considerado mais caro e mais difícil de se substituir do que o de homens.

Aliás, fizemos um conteúdo somente focado em mulheres que viajam sozinhas como viajantes corporativas. Você pode conferir aqui.

Valorizando o bem-estar do viajante

Todo gestor de viagem deve ter em mente que os funcionários são os recursos mais valiosos da empresa. Por isso, devem ser bem cuidados. Até porque é praticamente impossível eliminar saber como aliviar o estresse completamente durante as viagens. Contudo, fique sabendo que é possível amenizar esses impactos ao reduzir as horas perdidas na viagem.

#1 Seu viajante está satisfeito com a Política de Viagens?

É bastante comum que as empresas não saibam como aliviar o estresse e ainda queiram economizar nas viagens, o que acaba afetando a experiência dos viajantes. Embora não seja possível controlar totalmente situações desagradáveis e imprevistos, os gestores de viagem podem fazer uso de uma política que vise também o bem-estar dos viajantes.

Isso pode ser feito de alguns jeitos bastante simples, como permitir que eles viajem em classe executiva em voos intercontinentais. Ou até mesmo que escolham a data de embarque ou possam gastar um pouco mais com alimentação.

#2 Agilize as paradas e processos do seu viajante

Mesmo nos casos em que a empresa possui um orçamento mais reduzido, o gestor pode ajudar a melhorar a experiência do viajante, por exemplo, por meio do uso de tecnologias. Hoje já existem diversas ferramentas e aplicativos para celular que auxiliam os viajantes durante o processo. Alguns exemplos são aplicativos das próprias cias aéreas para fazer check-in com antecedência.

Ainda, claro, uma excelente opção que tem tido cada vez mais adeptos (como é oferecido pela Costa Brava aos clientes) é o uso de selfbooking. Ou seja, um sistema online em que o viajante faz as reservas de sua viagem conforme a Política. Desta forma, o gestor de viagem fica responsável somente por sua aprovação e/ou adequação.

#3 Insira o Bleisure   como uma boa prática em viagens

Ainda que a viagem corporativa tenha as suas obrigações, ela pode ser combinada ao bem-estar, ao lazer e mesmo à possibilidade de estar perto de alguém da família. Para isso, procure alinhar a prática de Bleisure em sua empresa. Ou seja, viagens associadas, ao mesmo tempo, a trabalho (business) e lazer (leisure).

Esta tendência, segundo o Grupo Expedia, já é praticada por 25% dos viajantes corporativos no Brasil. Ainda, 60% dos viajantes usam o Bleisure adicionando dois dias de folga à viagem de negócios. Ou seja, emendam o trabalho a um final de semana livre. Assim, a viagem passa a não ser somente uma obrigação de negócios, mas também um estilo de vida ligado ao lazer e família.

como aliviar o estresse do viajante

Usar de flexibilidade e Bleisure em viagens corporativas auxiliam a diminuir o estresse do viajante e, assim, torná-lo mais satisfeito e produtivo

#4 Disponha de flexibilidade

Como falamos, o viajante corporativo odeia perder tempo. Portanto, em casos de atrasos ou cancelamentos de voo, evite desperdiçar o tempo de seu colaborador. Faça contato imediato com a cia aérea para alocá-lo em outro voo. Veja a possibilidade de colocá-lo em salas de classe executiva ou VIP enquanto aguarda o próximo voo.

Já em situações de perda de bagagem, insira na Política itens para restituição de itens de guarda-roupa. Isso permite com que o viajante possa utilizar cartões de crédito corporativos para uma compra sem exigir restituição dos custos. Assim, o processo é agilizado e o estresse, diminuído.

#5 Outras técnicas

Há outros métodos sugeridos pela Costa Brava de como aliviar o estresse do viajante:

  • Upgrade de classe de voo para executiva quando ocorrem cancelamentos de voo ou voos muito longos;

 

  • Caso o item acima fuja da Política de Viagem, procure hospedar seu viajante em um hotel que disponibilize melhores opções para conforto e bem-estar. Isso pode incluir spa, academia, entre outros;

 

  • Folgas posteriores ou durante a viagem corporativa. Isso pode se interligar com um alinhamento de expectativa de carga horária. Ou seja, durante a viagem corporativa, o viajante deve estar disponível 6 horas do dia para demandas da viagem. Outras 2 horas serão dedicadas a se atualizar sobre a rotina no escritório. As demais horas são livres;

 

  • Substituição de limites para componentes específicos (valores determinados para alimentação; outros para hospedagem; etc.) por um limite global de orçamento para a viagem.

Conclusão: então, como aliviar o estresse do viajante?

Quando se trata de como aliviar o estresse dos viajantes, os gestores de viagem precisam, em primeiro lugar, melhorar a experiência de viagem em si. Seja alinhando a política de viagens, incrementando práticas de Bleisure ou até mesmo adotando novas tecnologias.

Afinal de contas, tudo isso é capaz de melhorar a produtividade do funcionário - o que é essencial para as empresas. É preciso tomar atitudes para que seus viajantes parem de passar a maior parte do tempo estressados, o que representa enormes prejuízos à empresa. Portanto, os colaboradores têm de ser pagos para serem produtivos. Embora as empresas queiram economizar sempre, o barato pode sair caro.

E agora, deu para ter mais ideias de como aliviar o estresse dos seus viajantes? Ainda tem dúvidas? Compartilhe conosco!









Assine Nossa Newsletter

Prestes a completar 30 anos, a Costa Brava ultrapassou o papel de uma agência, promovendo aos seus clientes experiências únicas e surpreendentes. Com transparência e segurança oferecemos soluções personalizadas para cada viagem ou evento.

Comentários

Login Reserve

Acesso Argo